Filme About Time (Questão de Tempo), Download Completo

Quem nunca quis voltar no tempo, simplesmente para ter mais tempo, ou para aproveitar melhor uma oportunidade ou mesmo para criá-la? É sobre isso que se trata o filme “About Time”. E diferentemente do “Efeito borboleta”, voltar no tempo é facim, facim, basta estar sozinho num lugar escuro e cerrar os punhos, bem melhor que resgatar cartas na prisão não?!

E você, o que faria com tal poder? Há quem diga dinheiro, inteligência, amor, ou apenas sempre o emocionante primeiro encontro mais uma vez, tal em “Como se fosse a primeira vez”. Particularmente, já que posso voltar no tempo, eu desejaria tudo hehehe. Mas não é assim nessa história, caso contrário não haveria o filme não é mesmo?

Gostei muito de tudo, atores, roteirista, diálogo, cadência e até do continuísta, que num filme sobre viagem no tempo provavelmente tem um papel fundamental.

…..

Ok, terminei de ver, ahá! Por essa vc não esperava, eu estava vendo o filme ao mesmo tempo em que escrevia rs. Ao final, continuei com a mesma opinião sobre a primeira metade e mais um pouco: tudo REALMENTE muito bom e inesperável. E acabou me lembrando do “The Way”, mas este fica para a próxima.  Para fazer o download indico o thepiratebay.com. Divirta-se!

Trailer do Filme Questão de Tempo

Trilha sonora de About Time

Ben Folds – “The Luckiest” (About Time Version)
Jon Boden, Sam Sweeney & Ben Coleman – “How Long Will I Love You?”
Paul Buchanan – “Mid Air”
Groove Armada – “At the River”
The Cure – “Friday I’m in Love”
Amy Winehouse – “Back to Black”
Ron Sexsmith – “Gold in Them Hills”
Nick Laird-Clowes – “The About Time Theme”
Nick Cave – “Into My Arms”
Jimmy Fontana – “Il Mondo”
Nick Laird-Clowes – “Golborne Road”
The Killers – “Mr. Brightside”
Sugababes – “Push the Button”
t.A.T.u. – “All the Things She Said”
Barbar Gough – “When I Fall in Love”
Sebastien Klinger, Jürgen Kruse – “Spiegel im Spiegel”
Ellie Goulding – “How Long Will I Love You?”

Conflito na Síria: Notícias da Guerra

Estou morando no Vale do Silício (Califórnia, USA) e para melhorar meu inglês tenho assistido a vários vídeos legendados “in english”. Os meus preferidos são documentários, principalmente sobre outras culturas, países ou conflitos modernos. O canal do youtube que mais tem notícias sobre guerras que achei é o VICE, e o vídeo que posto hoje é o documentário mais impressionante sobre a guerra na Síria que vi até agora. Além das legendas em inglês ele também possui várias outras legendas, é só escolher nos ícones na parte inferior do player.

Sempre que assisto a um vídeo que gosto, depois eu faço uma breve pesquisa sobre sua história. A da Síria parece ser milenar, tanto que não houve como a pesquisa ser breve. Por isso, foquei mais nos anos 70 para cá, período que explica um pouco mais o porque dos conflitos na região, basicamente os mesmos de sempre, pelo menos da nossa era: países com governos financiados por interesses estrangeiros que acabam minando os cidadãos.

Síria: documentário em vídeo sobre os conflitos

Obs.: não sei porque a primeira parte e o trailer não estão vindo com a playlist, então depois procurem no youtube ;-)

Vale do Silício: Empresas e Hostels

Gostaria de começar pedindo desculpas aos leitores pelo tempo em que este blog ficou parado. Se passaram quase 5 anos desde que eu escrevia diariamente. Naquela época eu morava em BH, fazia cursos no centro de treinamento da ADOBE, trabalhava em agências e aprendia sobre bolsa de valores com um dinheirinho que ganhei dando aulas particulares de matemática e física no terraço de casa.

Minha Startup no Silicon Valley

Parei de escrever no blog para dedicar apenas a minha empresa, wpsoft.com.br, na qual você pode alugar diversos sistemas online e customizá-los sem saber programação, apenas clicando e arrastando. Aprendi muito desde então, sobre materiais de marketing, design, programação, pesquisa de mercado, investidores, marketing online e etc. Mas a empresa ainda não está dando dinheiro, pois eu e meu sócio decidimos lançá-la de verdade no mercado apenas quando formos capaz de vender domínios e aceitar cartões brasileiros na navegação de compra. No momento nosso sistema de aluguel funciona apenas com Paypal, o que muitos brasileiros não tem, e para você ter seu dominio-nome-da-empresa.com é preciso que compre em outro lugar e o aponte para nosso servidor, o que demanda conhecimento técnico e impede uma rápida contratação dos nossos serviços, já que ao invés de preencher apenas um fomulário em nosso site o usuário tem de preencher 3 em sites diferentes.

Hacker Hostels na Califórnia

No momento estou morando no Vale do Silício – Califórnia, região famosa por suas várias empresas web e pela cultura empreendedora, aqui até mendigo ou idosos de 80 anos possuem Startups, nomenclatura para empresas nascentes de web. O Vale do Silício é formado por várias cidadezinhas, que na verdade são como bairros de São Francisco, também chamados de Bay Area, ou área da Baía, no caso a de São Francisco.

Estou alugando uma cama num quarto compartilhado em Sunnyvale, na mesma rua em que estão construindo o novo prédio do LinkedIn. Os hostels que possuem áreas de trabalho coletivas, são chamados Hacker Hostels, geralmente eles oferecem monitores, café da manhã, televisão, instrumentos musicais, ao menos uma festa semanal, roupas de cama e banho e internet. Os mais baratos variam de 400 a 1000 dólares para quartos compartilhados, para quartos individuais o preço pode chegar a ser mais de 60 dólares por dia. Mas também existe a opção de alugar apartamentos ou quartos individuais sem ser em Hacker Hostels, o preço também varia de 400 a 600 dólares mensal, mas com um quarto só para você.

Dicas de hostels na califónia, SF e Bay Area

  • https://www.airbnb.com.br/users/show/43806 Perfil do Vic no Airbnb, o cara que tem 9 hacker hostels no vale do silício. É onde indico para ficarem assim que chegarem, pois a possibilidade de conhecer pessoas nas festas que rolam com todos os integrantes é muito grande e a receptividade é realmente um diferencial. Não é muito caro e as casas são excelentes.
  • http://www.san-francisco-hostel.com/ O Hostel mais barato que achei em São Francisco, eles indicam várias coisas pra fazer de graça durante a semana e participam também das olimpíadas de hacker hostel, toda sexta-feira. Além disso, possuem um coworking aberto ao público durante o dia, com aulas gratuitas e impressoras 3D. A vida noturna em São Francisco é infinitamente melhor que nas cidadezinhas. Neste site há alguns comentários em português sobre o lugar: http://www.tripadvisor.com.br/Hotel_Review-g60713-d265426-Reviews-Pacific_Tradewinds_Hostel-San_Francisco_California.html. Página no Facebook: https://www.facebook.com/bestsanfranciscohostel/
  • https://www.facebook.com/embassynetwork Um dos Hacker Hostels maiores e mais luxuosos que vi até agora, tenho frequentado os jantares coletivos de domingo lá. O pessoal é muito gente fina também.
  • Este é um que ainda não conheci, mas que parece ser mais indicado pra quem quer festas e aventuras http://www.greentortoise.com/. Eles também participam das olimpíadas hacker de sexta-feira.

Festa coletiva do Vic`s Hacker Hostel

Eu sou o penúltimo da esquerda para a direita.

Hacker Hostel Vale do Silício

Hacker Hostel Vale do Silício – Vic`s Hacker Hostel

Empresas e Investidores no Vale do Silício

Quanto aos investidores, ninguém vai investir na sua ideia, você tem de ter ao menos um protótipo pronto. Mas o ideal é ter tudo pronto, já funcionando e com usuários. Quanto mais usuários você tiver, mais você pode pedir. Eles investem principalmente através das incubadoras. Até agora as que conheço mais de perto são: http://ycombinator.com/, plugandplaytechcenter.com (P&P) e blackbox.com. A primeira é a mais rica e que investe mais pesado logo de cara, a segunda investe pouco no início, apenas para te conhecer ou nada, pois também há a opção de alugar salas lá e a última parece ser mais ou menos no modelo da P&P, no qual investem mais pesado apenas depois de um tempo com eles.

Várias empresas e investidores ainda não sabem muito bem como lidar com produtos baseados em software livre e muitas vezes proíbem os programadores de abrirem o código no mercado, que as vezes o lançam assim mesmo, como pseudônimos, pois sabem que esta é a melhor maneira de conseguir mais produtividade e qualidade. Ambos são receosos de abrir o código porque tem medo que isto prejudique seu diferencial, mas na verdade o ideal é escolher qual o código é realmente um diferencial, e não proibir a atitude como um todo.

Programadores no Vale do Silício

Apesar dos programadores usarem biblioteca de código aberta, não tenho visto startups baseadas em plataformas abertas, que seria como um código já com interface gráfica que permite que se instale outros códigos nele (plugins), como é o caso do WordPress (WP), o software com que trabalho.

O preconceito contra o PHP, linguagem de programação com que o WP foi desenvolvido, é grande. Alguns programadores criticam projetos em PHP, como se usar Java, Javascript ou C++ no projeto fosse essencial para o sucesso, o que não é verdade, o próprio Facebook foi desenvolvido em PHP. Muitas vezes a insistência e coragem, aliada a bons materiais de marketing, network, baixos custos e pesquisa de mercado fazem toda a diferença. Além disso, não existe nenhuma outra comunidade tão grande no mundo quanto a de desenvolvedores PHP, na qual o WordPress se destaca.